SciELO Livros

Editora UFMG

 

O ardil totalitário: imaginário político no Brasil dos anos de 1930

Synopsis

Este livro não é uma história convencional da política brasileira e também não se limita à “história das mentalidades”. Para definir sua forma, seria necessário colocá-lo no rol das “descidas ao inferno” ao modo de Jean Starobinski. Trata-se de identificar as máscaras totalitárias, repelir o seu falso sorriso, dirigindo os olhos para o outro lado da retórica que hipnotiza os intelectuais, as massas, os líderes. Finda a leitura, podemos encarar o nosso tempo sem medo. Se uma fantasmagoria tão sinistra, como o pensamento totalitário, não conseguiu destruir a arte política, se depois da tormenta veio um interregno democrático no mundo, ainda resta esperança para nós e para nossos filhos. Neste livro lateja semelhante certeza, o que lhe confere a dignidade e a eminência de um essencial trabalho do espírito.

Table of Contents

Front Matter / Elementos Pré-textuais / Páginas Iniciales
Prefácio à segunda edição
Prefácio
Introdução
Parte 1 – Comunismo e anticomunismo: a identidade dos opostos
O exorcismo do mal
As armadilhas do bem
Parte 2 – Pátria amada, mãe gentil: a fantasia da proteção onipotente
A explosão patriótica
A supressão da desordem
Parte 3 – Trabalhadores, ao trabalho! A torpeza do improdutivo
A virtude do esforço
A regulação do tempo
Considerações finais
Referências
Fontes pesquisadas