SciELO Livros

Editora UFMG

 

Hannah Arendt e a banalidade do mal

Synopsis

Hannah Arendt e a banalidade do mal se dirige tanto aos conhecedores do pensamento arendtiano quanto àqueles que desejam conhecê-lo, colocando-se na fronteira entre as áreas de filosofia, política, história, sociologia e direito. É no contexto da reflexão sobre o julgamento do criminoso de guerra nazista Adolf Eichmann que Arendt funda o conceito de banalidade do mal, tema que se torna tão atual nos nossos tempos.

Table of Contents

Front Matter / Elementos Pré-textuais / Páginas Iniciales
Introdução
Capítulo I - O mal radical como ponto de partida
Capítulo II - A novidade totalitária
Capítulo III - A Banalidade do mal: uma invenção contemporânea
Capítulo IV - O vazio de pensamento
Conclusão
Notas
Referências