SciELO Livros

Editora FIOCRUZ

 

Processos de alcoolização Indígena no Brasil: perspectivas plurais

Synopsis

Quais são os critérios para identificar quando o consumo de bebidas alcoólicas se tornou problemático? Os critérios biomédicos que definem a dependência ao álcool como uma patologia se aplicam a todos os contextos culturais? O uso do álcool é uma questão de contornos complexos, em especial quando se consideram os povos indígenas, entre os quais problemas relacionados ao uso de álcool aparecem como importantes problemas de saúde pública, embora a produção acadêmica nacional sobre o assunto ainda seja relativamente escassa. Como o álcool adquire uma variedade de funções em diferentes grupos sociais, a análise não pode se restringir à ingestão da bebida em si: é preciso relacionar o consumo a processos socioculturais e político-econômicos. É o que defendem os autores desta coletânea, que descreve e analisa as características específicas dos diversos modos de uso de álcool em diferentes povos indígenas brasileiros. Os capítulos trazem relatos teóricos, etnográficos, historiográficos e de intervenções culturalmente orientadas. Buscam superar os enfoques limitados aos aspectos patológicos do consumo de álcool: demonstram que os efeitos da bebida – sejam negativos, sejam positivos – não podem ser dissociados de seus aspectos sociais, econômicos e psicológicos. Essa complexidade aponta para a necessária complementaridade entre as perspectivas da biomedicina e as das ciências sociais, além de ratificar a importância do protagonismo indígena no enfrentamento dos problemas relacionados ao uso de bebidas alcoólicas.

Table of Contents

Front Matter / Elementos Pré-textuais / Páginas Iniciales
Prefácio
Apresentação
1. O Abuso de Álcool entre os Povos Indígenas no Brasil: uma avaliação comparativa
2. Cauinagens e Bebedeiras: os índios e o álcool na história do Brasil
3. 'Mansidão de fogo': aspectos etnopsicológicos do comportamento alcoólico entre os Bororo
4. Quando, como e o que se Bebe: o processo de alcoolização entre povos indígenas do Alto Rio Negro, Brasil
5. Modos de Vida e Modos de Beber de Jovens Indígenas em um Contexto de Transformações
6. Consumo de Bebidas Alcoólicas entre os Povos Indígenas do Uaçá
7. Tomar uma Fuga: metáforas sobre o contexto social e econômico da alcoolização pankararu
8. Os Índios Maxakali: a propósito do consumo de bebidas de alto teor alcoólico
9. Controle Social como Autoatenção: estratégias kaingang diante do abuso de bebidas alcoólicas
10. Da Prevenção de Doenças à Promoção da Saúde: reflexões a partir da questão do uso de bebidas alcoólicas por indígenas
11. As Boas Palavras Mbyá-Guarani como Caminho para a Redução do Uso de Bebidas Alcoólicas
12. Problemas Relacionados ao Uso de Álcool entre Indígenas Guarani no Estado do Rio de Janeiro: uma experiência de abordagem terapêutica integrada
13. Educação Escolar Indígena e a Bebida Alcoólica: reflexões sobre o contexto do Triângulo Tukano, Alto Rio Negro