SciELO Livros

EDUERJ

 

A Liberdade na República dos modernos: teoria e história do liberalismo político francês (1789-1848)

Synopsis

Estuda o pensamento político na França, em um período crucial para a sociedade, compreendido entre a revolução de 1789 e a restauração, concluída em 1848 com a revolução de 22 de fevereiro. O autor discute a constituição de uma linguagem política liberal e de conceitos como república, democracia, soberania, liberdade, opinião pública e sociedade civil. Com este objetivo, analisa o pensamento político vigente, de intelectuais como Madame de Staël, Benjamin Constant, François Guizot, Visconde de Chateaubriand e Alexis de Tocqueville. O livro explicita pontos de consenso ou desacordo desses intérpretes da vida política e suscita reflexões sobre uma grande transformação operada na modernidade, com o aprofundamento do protagonismo do indivíduo na lógica de constituição do corpo político. É no interior desse conflito entre o social e o político que se distinguirá a experiência política que começa a tomar forma com a Revolução Francesa.

Table of Contents

Front Matter / Elementos Pré-textuais / Páginas Iniciales
Apresentação
Introdução: O tempo do Liberalismo Político
Capítulo 1 – A Revolução Francesa e o liberalismo político
Capítulo 2 – A liberdade na República dos Modernos
Capítulo 3 – O progresso como origem da liberdade
Capítulo 4 – A revolução como problema histórico
Capítulo 5 – O ensaio político do Liberalismo: a Restauração (1814-1830)
Capítulo 6 – O império da opinião pública
Capítulo 7 – A ascensão do poder social: a invenção da sociedade como o lugar da legitimidade do político
Capítulo 8 – Alexis de Tocqueville e o Liberalismo Francês: continuidades e rupturas sobre o conceito de democracia
Epílogo – O abismo do tempo: Chateaubriand, Tocqueville e a angústia com o futuro da democracia
Conclusão
Referências
Sobre o autor