SciELO Livros

Editora FIOCRUZ

 

Cenas de parto e políticas do corpo

Synopsis

O Brasil é o recordista mundial de cesáreas. Aqui, de 52% a 88% dos partos são cirúrgicos na rede pública e na rede privada, respectivamente. Porém, não é só o alto número de cesarianas que chama a atenção, mas o que está por trás disso: as cesáreas são a escolha da maior parte das gestantes e dos profissionais que cuidam delas. Nesta obra, a autora - antropóloga e feminista - pesquisou um grupo que optou por parir diferentemente: da maneira mais natural possível. Ela conviveu, entre 2008 e 2010, na cidade de São Paulo, com cerca de 60 mulheres que já tinham dado à luz e, novamente grávidas, esperavam não repetir as experiências dolorosas anteriores. Rosamaria Carneiro esteve também com gestantes de “primeira viagem”, que queriam estudar possibilidades para decidir qual opção escolheriam. Sem aceitar imposições. “Poucos casos e muita densidade foram sempre meu objetivo. Porém, mais que isso, o conteúdo é fruto de uma pesquisa etnográfica, eminentemente qualitativa sobre saúde sexual e reprodutiva”, afirma ela.

Table of Contents

Front Matter / Elementos Pré-textuais / Páginas Iniciales
Prefácio
Apresentação
Introdução
1. O Parto Humanizado no Brasil: as perspectivas passadas e as atuais
2. Em Campo e em Jogo: práticas de parto, emoções e traduções
3. Em Nome da Experiência: parto, sexualidade e espiritualidade
4. Feminismos, Partos e Maternidades: história, reversibilidade e subjetivação
Reflexões Finais
Posfácio
Referências