SciELO Livros

Editora UNESP

 

Estudos de literatura e imprensa

Synopsis

Escritos em diferentes momentos e circunstâncias da carreira do pesquisador Alvaro Santos Simões Junior, este conjunto de dez ensaiostrata da produção, circulação e recepção de obras literárias no Brasil a partir do fim dos anos 1800. O primeiro texto reconstrói o ambiente em que, na virada século 19 para o século 20, da Monarquia para a República, do trabalho escravo para o livre, surgiram novas condições para o trabalho intelectual. O texto seguinte fala de uma modalidade bem-sucedida de atuação profissional dos escritores daquele período - as revistas de ano. Enquanto os romancistas seguiam os passos de Émile Zola e Eça de Queiroz, utilizando linguagem depurada, os “revisteiros” aderiam à metalinguagem e à paródia, e abusavam da fantasia, incorporando os variantes regionais e sociais. O terceiro e o quarto ensaios ainda olham para aquele momento histórico. Analisam, respectivamente, romances naturalistas brasileiros e notícias a respeito da morte de Zola, oferecendo, ambos, uma ideia de como era complexa relação dos intelectuais brasileiros com os amados e, eventualmente, odiados mestres europeus. O texto seguinte trata da literatura paradidática da Primeira República, à qual se dedicaram sistematicamente vários escritores daquele período. Os três ensaios subsequentes resultaram de investigação do autor sobre a repercussão do Simbolismo nos periódicos brasileiros e revelam a importância da imprensa periódica para a divulgação e circulação das obras literárias: o primeiro analisa um hebdomadário dirigido de 1893 a 1895 por Artur Azevedo; o segundo examina a atuação de Medeiros e Albuquerque como crítico literário do vespertino A Notícia de 1897 a 1905; o último aborda as intervenções do jovem Paulo Barreto, redator da Cidade do Rio, jornal de José do Patrocínio, contra o Simbolismo brasileiro na virada do século. O penúltimo estudo da coletânea reflete sobre a obra de Ana Cristina Cesar, autora mais representativa da “geração mimeógrafo”, que criou em pleno regime militar um circuito independente de produção e circulação de obras literárias. Encerra o volume um ensaio sobre a obra de Menalton Braff direcionada ao público jovem.

Table of Contents

Front Matter / Elementos Pré-textuais / Páginas Iniciales Preview PDF
Apresentação Preview PDF
1 - A (re)definição do trabalho intelectual no início do século XX Preview PDF
2 - Localismo e cosmopolitismo nas revistas de ano Preview PDF
3 - Entre Zola e Eça: o Naturalismo brasileiro em seu apogeu (1888) Preview PDF
4 - A repercussão da morte de Zola em periódicos brasileiros Preview PDF
5 - Literatura paradidática e nacionalismo na Primeira República Preview PDF
6 - Retratos e poemas de O Álbum (1893-1895) de Artur Azevedo Preview PDF
7 - As resenhas de livros simbolistas no vespertino A Notícia (1897-1905) Preview PDF
8 - O jovem Paulo Barreto e os simbolistas Preview PDF
9 - Os eróticos diários de Ana Cristina Cesar Preview PDF
10 - Menalton Braff para jovens Preview PDF
Referências bibliográficas Preview PDF
Creative Commons License All the contents of this work, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution-Non Commercial-ShareAlike 3.0 Unported.